matrícula:
senha:
 




26/06/2014 - Dúvidas sobre alimentação infantil até 2 anos – Parte I
 

Você tem um bebê de até 2 anos ou conhece alguém que tem? Aposto que, em algum momento, dúvidas quanto à alimentação da criança surgiram ou surgirão. Tire algumas de suas dúvidas a seguir:

1- Pode-se dar água para bebês? Como saber a quantidade correta?

A água pode ser oferecida para bebês a partir dos 6 meses de idade. Até então, é indicada a amamentação exclusiva, sem necessidade de água e chás. Não existe uma quantidade específica, pois cada criança possui suas necessidades individuais. O ideal é oferecer um pouco várias vezes ao dia.


2 – Precisa ter algum cuidado especial com a água, como ferver e/ou esfriar?

Se for água mineral, não é necessário ferver, mas deve-se sempre armazená-la de forma que não fique em local quente e não haja incidência de luz solar sobre a água. Caso a água seja fervida, antes de servir, aguardar até que esfrie e atinja a temperatura ambiente. Temperaturas extremas podem ocasionar desconfortos ao bebê.


3 – Pode-se dar peixe para o bebê? E frutos do mar?

O bebê pode consumir peixe juntamente das papinhas salgadas, assim como carne bovina e de frango, mas é preciso retirar com cuidado todas as espinhas. Frutos do mar costumam ser mais gordurosos e com sabor mais marcantes, então, a inserção destes na dieta infantil pode ser realizada quando o bebê tiver mais de 2 anos.


4 – Pode-se utilizar algum tempero nas papinhas, como sal e azeite?

Sim. Desde cedo, a criança deve ser introduzida ao sabor dos temperos básicos da comida, como cebola e alho, porém, devem ser utilizados com cautela para que o sabor não fique muito forte. O óleo/azeite pode ser utilizado em pequena quantidade; já o sal não se faz necessário no preparo das papas, pois a criança, por não conhecer sabores muito salgados, não sente falta do sal na comida, então, quanto mais puder ser retardada a introdução do sal na alimentação do bebê, melhor. É importante ressaltar que, se a criança for acostumada com refeições salgadas e gordurosas desde pequena, ficará acostumada e sempre buscará preparações com a intensidade desejada, o que pode trazer danos à saúde, principalmente a partir da adolescência, como obesidade, níveis elevados de colesterol e triglicerídeos, além de hipertensão arterial e doenças cardíacas em idade adulta.


5 – É verdade que não se deve fazer a comida do bebê em panela de teflon?

As comidas do bebê podem ser preparadas nesse tipo de panela, desde que não se utilizem garfos ou utensílios que possam danificar o teflon e fazer com que o mesmo se incorpore à comida, o que não é saudável em idade alguma.


6 – Frutas assadas perdem as propriedades naturais?

Alguns nutrientes podem sofrer alterações quando submetidos a diversos tipos de cozimento, contudo, frutas costumam ficar pouco tempo sob altas temperaturas quando assadas, então, a perda de suas propriedades não é tão significativa. Como alguns bebês, inicialmente, apresentam melhor aceitação de certas frutas quando estas estão cozidas, consiste em uma boa maneira de introdução destes alimentos. É importante ressaltar que a criança precisa ter contato com um alimento de 8 a 10 vezes para a real constatação de gosto ou desgosto pelo mesmo, por isso, não se deve cessar o oferecimento de uma fruta que o bebê demonstrou não ter gostado após um único contato. Dá para oferecer o alimento preparado de outra maneira, ou junto de outro que a criança goste, mas não se pode desistir após uma ou duas tentativas apenas.





 

Copyright, © 2017, Centro Escolar Aquarela. All rights reserved. Direitos autorais reservados. Reprodução proibida.
Projeto Web: Insenic Interactive do Brasil